A série The Witcher foi anunciada à alguns meses e está em planejamento. Nos últimos dias houve uma grande polêmica por parte de usuários sobre a diversidade de roteiristas que planejarão a série.

Pelo que parece, alguns usuários andaram reclamando sobre a presença de mulheres, negros e pessoas de países diferentes na equipe dos roteiristas de The Witcher. A reclamação foi de que essa junção faria com que o trabalho final não fosse fiel à história original e ao conhecimento dos livros.

A roteirista Lauren Hissrich que vem dando grandes detalhes sobre a futura série respondeu aos usuários. A executiva mostrou estar bem decepcionada com esse pensamento por parte dos usuários. Lauren mostrou em suas palavras que pode ser bem forte e ao mesmo tempo respeitosa em combater o preconceito de alguns.

“A @Netflix acredita na transparência, então aqui está a verdade. Respiração profunda. Aqui vamos nós:
Nenhum dos escritores esteve em Nilfgaard. Ou Cintra. Ou Kaer Morhen. Nenhum é feiticeiro. Nenhum é filho de surpresa. Ninguém tem caçado monstros, e nenhum matou ninguém (tanto quanto eu sei)”.

“Porque – e isso é importante – os escritores não usam a cor da pele para escrever, ou o gênero, ou o local de nascimento. Nós nem confiamos apenas em nossas experiências. Nós usamos nossos cérebros e nossos corações. Todos nós temos isso. Eu prometo.”

A discussão ainda continuou no Twitter com a resposta de alguns usuários ao que Lauren disse. Lauren continuou respondendo aos comentários e se mostrando bem confiante quando ao planejamento da série.

Já havia sido confirmado que The Witcher seria fiel a história. Há previsão de oito episódios para o ano de 2020. Apesar de todos os comentários, os roteiristas seguem firmes e fortes.