Brendan Greene criador de PUBG, revelou em entrevista ao site Kotaku que 99% dos trapaceiros que estão dentro do game são provenientes da China. Brendan ainda disse que vários jogadores pediram para que banissem os jogadores chineses dos servidores de outras regiões, mas afirmou que não pode apoiar esta ideia.

“Há um grande mercado de cheats no mundo, não somente na China. Entretanto parece que é mais aceitável usar cheats na China. Geograficamente, eles tem muito mais pessoas que qualquer lugar do mundo”, disse Greene ao site Kotaku.

 O criador de PUBG ainda afirmou, “Eu não acredito que banir os jogadores seja uma boa maneira, pois mesmo que a maioria das trapaças vem da China, não significa que todos os chineses são cheaters. Esta ideia de que, só porque você tem alguns ovos ruins, tem que banir um país inteiro, é muito reativa”.

PUBG possui uma comunidade de jogadores chineses muito forte para pessoas que amam o jogo e não recorrem a trapaças. “Por que eu iria restringi-los de jogar nos servidores ? Eu simplesmente não entendo este tipo de atitude que algumas pessoas têm”. Segundo Brendan remover os cheats não é algo simples e esta sendo preciso recorrer a sistemas automáticos para que o jogo se veja livre deles.

“Estão sendo construídos sistemas para que PUBG seja algo realmente competitivo e você não se depare com trapaceiros durante sua jogatina.” comentou Greene, que também pediu para que os jogadores que virem cheaters no jogo, reportem as ações deles, para que a equipe de desenvolvimento faça algo em relação a eles.